Promover a inovação é um objetivo comum e presente em empresas de todos os ramos, do comercial ao TI. Por isso, a necessidade de projetar soluções originais dentro de uma abordagem totalmente centrada no consumidor é um desafio e tanto para qualquer equipe.

Felizmente, algumas abordagens e práticas de gerenciamento facilitam bastante a abertura de novos caminhos e possibilidades para atender o mercado. Uma delas, que vem ganhando cada vez mais destaque no contexto da indústria 4.0, é o design thinking. Você sabe o que este termo significa?

Neste post, você vai entender melhor no que consiste essa metodologia e como ela pode revolucionar o desenvolvimento de seus projetos. Tire suas dúvidas conosco!

O que é o design thinking?

Ainda há quem acredite que esta abordagem é útil apenas para os profissionais mais criativos (como artistas plásticos, arquitetos, estilistas e, logicamente, designers). Afinal, o mercado em si normalmente apresenta uma visão equivocada do próprio conceito de “design thinking”. Na verdade, trata-se de uma metodologia ágil, usada para tornar os produtos e ideias mais funcionais e próximas do usuário final, e não um processo puramente visual ou estético.

Apesar de realmente ter surgido no ramo do design, essa abordagem é bastante flexível e útil em diversos contextos, já que se mostra potencialmente valiosa para melhorar os resultados da inovação em produtos, serviços, negócios ou estratégias.

Vantagens do design thinking

Por ser um processo de inovação centrado no ser humano, o design thinking enfatiza a observação, empatia, colaboração, aprendizado rápido, visualização de ideias e prototipagem rápida de conceitos.

Isso acontece porque esta metodologia conecta os executivos de forma mais direta com os potenciais consumidores. Nela, a opinião do usuário é fundamental para evitar riscos em todas as etapas do projeto. Quando o resultado leva em conta a mente do cliente, respeitando suas necessidades, desejos e desafios, a lacuna onde as falhas podem ocorrer se tornam muito menores.

Além disso, ao envolver todas as áreas e profissionais da empresa (com seus diferentes conhecimentos) no processo de criação e desenvolvimento de novos projetos, a estratégia acaba se tornando mais completa, com ideias e conceitos tangíveis. Esse fato estimula a empresa a torná-la economicamente viável, o que pode ser interessante tanto para a empresa quanto para o usuário final.

Como as empresas aplicam o design thinking na prática?

O design thinking e o gerenciamento de projetos empresariais estão evoluindo lado a lado. Inicialmente, ambos os campos estavam ancorados em práticas mais rígidas, caracterizadas por métodos bem definidos, mas estão caminhando além dessa perspectiva operacional em direção a uma estratégica, acompanhando as mudanças no comportamento de consumo e perfil dos consumidores.

Atualmente, líderes da indústria como a Procter & Gamble e IBM treinaram a sua organização com disciplinas do design thinking para se tornarem mais inovadoras e, principalmente, centradas nas necessidades dos seus clientes. Enquanto isso, diversas fintechs (como o Nubank) estão revolucionando (positivamente) o mercado financeiro com a eliminação de burocracias e personalização de serviços.

Há também quem transforme o design thinking em experiências marcantes. O Instituto Atlântico promove um framework de duas semanas para as empresas que buscam resoluções rápidas de problemas ou precisam identificar algum gargalo que esteja bloqueando o seu alcance de metas.

O evento, conhecido como Tomorrow Lab, faz o uso estratégico do design thinking aliado a outras técnicas para validar hipóteses, levantar diferentes visões de profissionais distintos, realizar pesquisas, promover testes de usabilidade e eleger as soluções mais interessantes para seus clientes.

Neste contexto, as associações profissionais desempenham um papel crítico no desenvolvimento e difusão do projeto. Tanto o design thinking quanto o gerenciamento de projetos são abordagens integrativas, e ambas reivindicam a melhora dos resultados organizacionais relacionados à inovação.

Como implementar o design thinking em projetos corporativos?

Ao empregar o design thinking no desenvolvimento de projetos, a ideia é utilizar o pensamento criativo e o senso crítico para avaliar hipóteses, elaborar ideias e organizar as informações que já estão presentes. Neste processo, existem basicamente 3 estágios: .

Imersão

Na fase de imersão, os problemas são levantados e analisados, levando em conta a perspectiva do usuário final e do negócio. Neste momento, pesquisas, entrevistas, procura por tendências (Cool Hunting), observação direta, entre outras buscas – são realizadas para entender o problema.

Ideação

O próximo estágio é aquele em que a equipe realiza o processo criativo, apresenta ideias para encaminhar o projeto e solucionar os problemas encontrados. Nele, podem ser realizadas sessões de ideação acompanhadas de métodos ágeis ou técnicas de geração de ideias, como o brainstorming.

Ao fim da coleta de informações, é preciso analisar os dados obtidos e elaborar caminhos que se distinguem do senso comum. Esta etapa é feita em condição de cocriação com todos os envolvidos no projeto.

Prototipagem

A fase de prototipagem se inicia quando os protótipos das ideias levantadas no processo de ideação são desenvolvidos e testados, na tentativa de encontrar e aplicar melhorias. Vale ressaltar que este estágio pode ser realizado junto aos demais. À medida que surgem novas ideias, elas são prototipadas, testadas e validadas. Neste contexto, a implementação se torna um processo contínuo.

A maioria das pessoas acredita que o design thinking só pode ser aplicado em forma de processo, no qual todas as etapas estão juntas e são executadas de forma seguida. Na verdade, o método é composto por módulos, que podem ser montados e adaptados na maneira em que for mais adequada para o desenvolvimento do projeto.

Esta flexibilidade é alta viabilidade de aplicação são alguns dos principais motivos que fazem o design thinking ser utilizado por tantas empresas para desenvolver novos projetos e colocá-los em prática. Com ele, você ainda pode estimular a cooperação entre sua equipe e aumenta as suas chances de êxito com o produto final.

Viu só como o design thinking pode promover soluções inovadoras? Se você deseja conhecer todos os detalhes desse processo e entender como ele se adapta às necessidades da sua empresa, visite nossa página e entre em contato conosco. Teremos prazer em ajudar a aplicar essa e outras metodologias no desenvolvimento de seus projetos!

Escreva um comentário

Share This