O setor de TI desempenha hoje um papel fundamental nas empresas, sendo capaz de otimizar o trabalho dos demais departamentos e gerar valor para os negócios. Por isso, desenvolver a equipe, tanto profissional quanto operacionalmente, faz parte da rotina do gestor. No entanto, isso exige uma decisão: afinal, devo investir em consultoria ou mentoria?

Por mais que essa seja uma dúvida comum entre profissionais de TI, estamos falando de conceitos diferentes. Pensando nisso, criamos este post para esclarecer as diferenças entre consultoria e mentoria, além de mostrar como eles podem ser aplicados no ambiente de TI. Confira!

O que é consultoria?

No contexto empresarial, consultoria é um tipo de serviço que tem como objetivo geral a melhoria de resultados, a adequação jurídica ou mesmo a otimização de processos. Em outras palavras, os consultores levantam informações, fazem análises, identificam oportunidades, fazem diagnósticos de problemas etc.

A empresa contratante espera alcançar uma melhoria em certos processos, ainda que em alguns casos ela não saiba exatamente como isso pode ocorrer. Em um setor de TI, por exemplo, uma consultoria pode ajudar a identificar problemas de infraestrutura que estão prejudicando a performance dos profissionais da empresa.

Um consultor da área de desenvolvimento de software, por sua vez, pode auxiliar na implementação de uma framework, de uma metodologia ágil ou mesmo de uma plataforma.

Grosso modo, a consultoria pode atuar em questões de gestão estratégica ou mesmo em processos operacionais que a empresa deseja otimizar.

O que é mentoria?

A mentoria (ou mentoring) tem um objetivo um pouco mais específico: desenvolver as habilidades profissionais de um ou mais colaboradores. Isso é feito por meio da troca de experiências com um expert no assunto — o mentor. São promovidas, por exemplo, reuniões para discussão sobre a vida profissional e pessoal.

Em tempos de um mercado tão concorrido e de rápidos avanços tecnológicos, o desenvolvimento profissional vai muito além da simples aquisição de conteúdo técnico. É preciso entender a experiência de enfrentar situações adversas, identificar os desafios menos visíveis das atividades e ser criativo para superá-los.

O mentor oferece o conhecimento de quem tem experiência e know-how na área de atuação dos profissionais que ele deve guiar durante esse processo. No setor de TI, isso pode ajudar na implantação de uma cultura inovadora, tornando os membros do time mais eficientes, individual e coletivamente.

Isso envolve, por exemplo, discutir o papel desses profissionais no mercado e na própria empresa. São questões que não estão diretamente inseridas em manuais técnicos de TI, mas que influenciam o resultado de cada atividade.

Assim, o mindset da empresa pode ser constantemente lapidado, pois os colaboradores aprendem a se situar melhor no ambiente de trabalho e enfrentam os desafios com mais confiança. Entretanto, isso não significa que uma boa mentoria substitui a consultoria de TI.

Quais são as principais diferenças entre as duas práticas?

Para se ter uma ideia mais clara em relação aos conceitos e suas diferenças, é interessante partir de uma abordagem de três níveis. No primeiro, temos um treinamento ou workshop básico, no qual as informações são passadas e dúvidas são tiradas — mas não há um processo de acompanhamento da aplicação prática na rotina dos profissionais.

Vem então a consultoria, na qual há um esforço direcionado para que o conhecimento passado seja agregado à realidade da empresa. Trata-se de um processo que não só promove a educação profissional, como se preocupa em aplicar as melhorias no mundo operacional daquele time ou organização.

Por fim, a mentoria busca uma abordagem de aproximação entre os indivíduos, alinhando as práticas com as sugeridas pelo mentor. Para isso, ele verifica se as atividades estão sendo feitas de forma correta, ajustando a abordagem quando preciso. Trata-se de uma responsabilidade dividida na aplicação do conhecimento em si.

A consultoria oferece um parecer mais técnico, um feedback que pode ter como base indicadores ou mesmo o olhar apurado do especialista contratado. São apontados os pontos melhorados e aquilo que ainda não está funcionando, assim como podem ser dadas sugestões para solucionar esses problemas.

O setor de TI, no entanto, tem as suas particularidades em relação a isso.

Como esses conceitos funcionam para profissionais de TI?

O profissional de TI está hoje situado em um ambiente que influencia diretamente a produtividade de toda a empresa. Em muitos casos, é da própria TI que saem as ideias que vão formar a estratégia de negócios da organização — principalmente quando o core business envolve a tecnologia em si: soluções digitais, serviços online, vendas etc.

Por isso, é comum se deparar com casos nos quais a própria cultura da empresa gera alguns obstáculos. Para adotar novas tecnologias ou métodos, por exemplo, é preciso mudar a forma de pensar dos profissionais. A mentoria então se depara com obstáculos maiores, pois a mudança nos processos exige também uma mudança estrutural.

Com uma abordagem de questões mais abrangentes, a consultoria tem uma procura mais alta e permite remodelar com mais eficácia o mindset da equipe de TI. Para começar, é feito um diagnóstico que levanta pontos a serem melhorados, oportunidades de inovação etc. É um primeiro passo que já alinha as expectativas da empresa com as possibilidades do mercado.

Na fase de execução, o time de consultores atua junto à equipe promovendo treinamentos que focam na mudança cultural. O objetivo é criar uma abertura para estratégias alternativas ou métodos inovadores nos processos de TI — assim como promover o engajamento coletivo, um ponto crucial para o sucesso dos projetos.

Com os resultados colocados no papel, são apresentados os pontos positivos e negativos — uma avaliação que mostra se as expectativas foram atingidas e indica sugestões para que a empresa dê os próximos passos por conta própria.

O objetivo de uma consultoria eficiente, ao propor uma mudança cultural, é fazer isso sem forçar o uso de práticas que podem causar traumas ou rejeições. Portanto, é preciso guiar a equipe de TI, permitindo que ela ande com as próprias pernas e, ao mesmo tempo, conte com a expertise de especialistas sempre que precisar.

Por fim, podemos destacar algumas das consultorias mais relevantes para o setor de TI. Uma delas é a implantação de práticas ágeis, automatização de testes e DevOps — práticas fundamentais para quem busca melhorar a performance da equipe.

Além disso, temos a consultoria em transformação digital, na qual é feita uma análise do negócio para a identificação de oportunidades. Para otimizar processos e gerar valor são sugeridas soluções digitais como Data Science, Machine Learning, Big Data, Blockchain etc.

Como você pode ver, definir se sua empresa pode se beneficiar mais de uma consultoria ou mentoria começa com a identificação das suas necessidades e expectativas. Faça essa análise em sua equipe de TI e busque uma alternativa que atenda às suas demandas!

Gostou do post? Então inscreva-se em nossa newsletter e receba diretamente em seu e-mail mais conteúdos sobre o assunto!

 

Escreva um comentário

Share This