Certamente você deve ter ouvido falar sobre a IoT (Internet das Coisas). E, sem dúvidas, você vai ouvir muito mais, pois quando falamos sobre revolução tecnológica, a noção de IoT é um dos assuntos principais. Não é difícil entender o porquê de esse fenômeno desenhar o futuro de uma maneira completamente inédita, já que as suas possibilidades são inúmeras.

A IoT está transformando a relação de todos com a tecnologia, mudando a maneira como as pessoas interagem com o mundo e, especialmente, o modo com o mundo interage com as pessoas. É um conceito que muda não apenas como a sociedade vive, mas também como ela trabalha.

Mas, afinal, o que é a Internet das Coisas e quais são os desafios e oportunidades dessa tecnologia? Continue acompanhando que você terá as suas respostas! Boa leitura!

O conceito de Internet das Coisas

A IoT é uma tecnologia que dispõe que grande parte dos dispositivos que usamos no dia a dia está conectada entre si e também pela Internet.  Existe uma revolução no momento que envolve a conexão dos nossos mundos digitais e físicos.

O crescimento da Internet das Coisas está mudando drasticamente o modo como as pessoas interagem com suas casas, seus eletrodomésticos e seus carros, mas também tem implicações relevantes para a indústria.

“Qual o conceito de IoT” é uma pergunta com muitas respostas, uma delas vai um pouco mais além da resposta: são equipamentos (coisas) conectados a internet e se comunicam entre si, que seria a mais comum.

Quando se fala sobre Internet das Coisas, é mais do que você ter, por exemplo, um termostato conectado à Internet, controlado remotamente, que se ajusta automaticamente às temperaturas que você mais gosta. O contexto de IoT seria o valor que esse termostato agrega por ele estar conectado a uma rede de dispositivos, por exemplo, o quanto de energia ele pode economizar por controlar a temperatura da sua casa.

O impacto dessa solução na vida das pessoas e em diversas áreas de atuação nos negócios

Pensando em exemplos bastante simples de como essa tecnologia poderia estar presente na vida das pessoas, há algumas ideias como a de uma garagem que se abre sozinha assim que detecta que o veículo está se aproximando, de um dispositivo móvel que permita acender e apagar as luzes da casa de qualquer lugar ou ainda portas de uma residência com reconhecimento facial ou biometria, entre muitos outros exemplos.

A Internet das Coisas pode ajudar de formas diferentes em áreas diferentes. Na maioria das vezes, os dados necessários para se melhorar um processo já estão disponíveis, mas não estão sendo captados. Por exemplo, um guindaste apresenta um número altíssimo de sensores, mas o que é mostrado para o operador são apenas os dados que são relevantes para ele.

Porém, em um contexto de IoT, todo e qualquer dado pode ser relevante, então basta agregar todos esses sensores em uma plataforma para que sejam processados e gerem valor.

No mundo dos negócios, a IoT terá um impacto significativo em todos os setores. Os equipamentos conectados estão impulsionando um grande número de informações que antes não existiam ou então que exigiam um esforço muito grande para se conquistar.

No varejo, por exemplo, os dispositivos inteligentes vão ser os principais responsáveis por identificar o perfil de cada comprador de uma loja. Tudo isso, sem ter que buscar dados em diferentes sistemas ou aplicar pesquisas aos clientes. E essa é uma  informação vai tornar possível um planejamento bem mais direcionado.

Imagine um estabelecimento que comercialize cosméticos e que use sensores de Internet das Coisas. A partir de uma câmera inteligente, o gerente vai conseguir saber quem são as consumidoras que se encontram presentes no exato momento em que elas estão no estabelecimento. Com o monitoramento desse tráfego, ele vai poder ver que às 16h, a maioria das clientes que estão no local tem acima de 40 anos, por exemplo.

Os desafios e oportunidade que essa tecnologia fornece para a empresa

Nem todas as empresas que contratam um serviço/desenvolvimento IoT possuem internet ativa no setor escolhido para implantação. Este é o maior e mais comum desafio que encontramos até agora, seja uma sala de reunião que não tem conexão WiFi, seja um equipamento que não tem conectividade com a internet.

O segundo maior desafio é o de acesso externo. Após obter conectividade, é preciso ter acesso ao equipamento de maneira remota para continuar a implantação. Geralmente, as empresas contam com um padrão estrito de segurança que impede terceiros de acessar equipamentos da rede interna de outros locais, desacelerando o tempo de resposta entre desenvolvimento e teste no local.

Além disso, quando se pretende implantar uma solução de IoT em uma empresa, é normal haver a necessidade de uma mudança de layout do chão de fábrica a fim de acomodar o novo cabeamento. Isso certamente pode impactar a produtividade, caso não seja realizado corretamente, além de não ser algo rápido e trivial de ser feito.

Se os empresários treinarem as equipes de profissionais quanto aos cuidados necessários ao criar redes de IoT, os resultados, sem dúvidas, serão melhores. Sem contar que, se estamos falando em IoT, é preciso considerar que a agilidade na tomada de decisão quando se enfrenta um incidente, por exemplo, precisa ser ágil o suficiente para que possa combater os prejuízos em tempo real, pois é dessa forma que os ataques acontecem.

De acordo com pesquisa, até 2020 aproximadamente 50 bilhões de dispositivos vão estar conectados à Internet.  A Internet das Coisas vai ganhar impulso no país, podendo chegar a movimentar US$ 13 bilhões até 2020.

Os números só confirmam a velocidade extraordinária dessa tecnologia. Oportunidades e desafios, são esses termos que movimentam a Internet das Coisas. Isso significa que, para aproveitar as oportunidades que a IoT oferece (e vai oferecer no futuro), é imprescindível que as pessoas e empresas estejam preparadas para enfrentar os desafios desse novo mundo.

Softwares personalizados para acompanhar essa conexão entre dispositivos

Geralmente, os softwares são proprietários muitas vezes desenvolvidos para as empresas que pagam pelo serviço. Porém existem plataformas opensource, que permitem o acompanhamento da conexão, envio de dados e gerenciamento desses dispositivos.

Um exemplo é a plataforma Dojot. Há também diversas outras plataformas com o mesmo propósito de gerenciar dispositivos, mas de código fechado, como a Amazon AWSIoT Core, IBM Bluemix e Microsoft Azure IoT.

Enfim, o que sabemos é que no fundo, contávamos com uma grande quantidade de dados, que agora podemos colocar inteligência, transformando-os em conhecimento, informação e em sabedoria.

Uma vez que conseguimos ver os padrões de todos esses dados, podemos nos tornar mais eficientes, melhorando a qualidade de vida da sociedade e do planeta e, claro, aumentando a produtividade.

Com isso, torna-se possível gerar novas atividades, novos insights e, claro, fomentar ainda mais a inovação. É por isso que a Internet das Coisas deve ser acompanhada de perto para garantir cada vez mais oportunidades, principalmente para os negócios!

Gostou do texto? Ficou alguma dúvida ou quer acrescentar alguma informação? Aproveite para deixar o seu comentário e dividir conosco as suas ideias!

Escreva um comentário

Share This