MSF, DSDM, Scrum. Esses são termos que certamente você já ouviu falar, ainda mais se for da área de desenvolvimento de software, não é mesmo? Isso ocorre por causa da grande revolução que os famosos métodos ágeis têm causado no modo como são criadas as aplicações e os softwares. Resumindo, esses frameworks e metodologias revolucionaram a maneira como são conduzidos os projetos de software.

Certo. Mas o que você acha de aprofundamos no assunto e começar a entender o que realmente são os métodos ágeis, quais são os principais trabalhados nas organizações e como eles são definidos.

Se você ficou curioso e quer saber mais sobre o assunto, continue acompanhando para conhecer o conceito e os principais tipos de métodos ágeis. Aproveite e boa leitura!

O que são métodos ágeis?

Antes de tratar sobre os métodos ágeis, é muito importante falar de filosofia ágil. Existe aí uma mudança de mindset, uma mudança de pensamento para a filosofia ágil. Essa mudança acontece principalmente após o manifesto ágil, datado de 2001 — quando uma série de pensamentos foi criada no modo como se desenvolviam softwares.

O que mudou com esse pensamento? O que mudou com essa forma de atuar em projetos ágeis? O manifesto ágil definiu quatro linhas de pensamento para projetos de desenvolvimento de software. Ele afirma que é mais importante priorizar os indivíduos e as interações, em vez dos processos e ferramentas.

Outro ponto importante é a prioridade que se dá para um software em funcionamento. Com o manifesto ágil, percebeu-se que era bem melhor começar a entregar algo executado para o cliente o quanto antes. Com isso, seria possível ter mais feedbacks, mesmo que fossem versões “parciais” do software.

A outra parte do manifesto afirma que é preciso ter mais colaboração com o cliente do que uma negociação de contratos. Por fim, o quarto e último ponto do manifesto é responder às mudanças, mais do que seguir um plano. O planejamento precisa ser feito, mas não “em pedra” — ou seja, sendo seguido à risca em todos os seus detalhes. É preciso, portanto, ter abertura para mudanças.

Em outras palavras, falar de metodologias ágeis exige a reflexão para o manifesto ágil, que tem estes quatro mandamentos: indivíduos e interações antes de processos e ferramentas, software em funcionamento antes de documentação abrangente, colaboração com o cliente antes de negociação de contrato e responder às mudanças antes de seguir planos.

Veja que a expressão usada é “antes de” e não “em vez de”. Não é que não precise ter documentação e processos. Estamos falando aqui sobre o que deve ser priorizado. É uma proposta de mudança cultural, de mudança de mindset, certo?

Enfim, os métodos ágeis, mais do que uma resposta de mercado, são basicamente padrões que buscam acelerar o processo de desenvolvimento de um projeto, de modo totalmente funcional e coeso.

Quais são os principais tipos de métodos ágeis?

Não poderíamos deixar de citar pelo menos as principais metodologias ágeis. Confira quais são elas e saiba um pouco sobre o seu funcionamento!

Scrum

Esse é um método ágil extremamente popular e muito confundido com o conceito em si. Para que você possa trabalhar com esse método, é fundamental compreender muito bem a sua equipe e ter funções muito bem definidas para cada profissional envolvido.

Feature Driven Development (FDD)

O FDD foi criado em meados da década de 90 em Cingapura e é um método que reúne as práticas mais eficientes de outros métodos. O seu objetivo é focado em funcionalidades, permitindo que a equipe do projeto faça um planejamento por fases. Esse é um tipo de atuação que auxilia na agilidade do desenvolvimento de soluções em lugares onde as mudanças são inevitáveis e de grande incerteza.

eXtreme Programming (XP)

Assim como o FDD, o eXtreme Programming também foi criado em meados da década de 90, e é conhecido como XP. Trata-se de um método totalmente focado no desenvolvimento de software que tem como base 3 pilares: economia de recursos, agilidade no desenvolvimento da solução e qualidade do produto final.

Microsoft Solutions Framework (MSF)

Esse é um método ágil muito utilizado por ser destinado ao desenvolvimento de soluções tecnológicas por pequenas equipes, focando na redução de riscos para a empresa e no aumento da qualidade do produto final.

O objetivo é identificar os mais comuns problemas em projetos de tecnologia, a fim de aumentar as taxas de sucesso de cada processo. Assim como o Scrum, o Microsoft Solutions Framework está com um foco bem maior na gestão do projeto, em vez de focar no desenvolvimento da solução em si.

Dynamic System Development Model (DSDM)

Esse é um dos métodos mais antigos que são empregados tanto no meio tecnológico quanto no desenvolvimento de projetos. É um pouco diferente dos outros métodos, e destinado ao desenvolvimento de projetos com prazos curtos e com orçamento fixo, considerando que o cliente não pode saber quanto vai custar a solução final.

Como a Atlântico usa os métodos ágeis em suas equipes?

Entendendo o manifesto, a partir daí é preciso ter metodologias que estão alinhadas a essas reflexões. A mais conhecida e utilizada em projetos é o Scrum, uma metodologia de gestão de projetos ágeis.

A sua forma de trabalhar está muito aderente ao manifesto ágil, pois prioriza as interações entre pessoas, a entrega de versões de software constantemente (a cada 2 ou 4 semanas, o cliente vai validando a expectativa dele com aquela solução), o escopo do projeto não é detalhado no contrato e sim desenvolvido ao longo do projeto, priorizado pelo cliente. Esse cliente é parte integrante da equipe de desenvolvimento, ele é o product owner que passa a ser corresponsável por aquela solução.

O Scrum é a melhor alternativa para projetos da Atlântico. Para operações, a alteração é algo contínuo. É uma manutenção do sistema, uma disponibilização de serviço, algo just in time. A Atlântico tem, ainda, outra metodologia que é mais aderente: o kanban. Trata-se também de uma metodologia ágil, porém mais voltada para gestão de operações. Lembrando que essas duas metodologias são de gestão.

Caso você queira fazer um paralelo com as metodologias tradicionais de gestão, a empresa conta com o Scrum (para gestão de projetos) e para as metodologias tradicionais, com o PMBOK.

Falando em desenvolvimento de software, o Scrum estabelece a rotina de gestão: as reuniões, o plano de comunicação, a documentação que vai existir etc. O desenvolvimento tem uma metodologia ágil também, que é o XP (Exteme Programming), totalmente voltada para o mindset do manifesto ágil, mas do ponto de vista técnico, que é diferente do Scrum.

Quanto às vantagens do uso desses métodos ágeis, elas são inúmeras. O time fica mais engajado com o projeto e o cliente também, passando a ter versões de produto com mais rapidez. As expectativas sempre vão sendo alinhadas e há uma propensão maior que todas sejam correspondidas, além disso, há uma redução significativa do desgaste do cliente com renegociação de contratos, uma vez que esta documentação não é mais baseada em escopos pré-definidos, e sim na locação do time.

Ficou interessado e quer aproveitar essas vantagens na sua empresa? Então não perca tempo e entre em contato conosco agora mesmo!

Escreva um comentário

Share This